Joana com Sapo On The Hop

Já dizia o Marco Paulo "Oh Joana , pensar que estivemos tão perto!" E estamos! Perto dos acontecimentos, perto dos eventos. SAPO e Joana Alves em missão de cobrir eventos por esse país fora. Fica On the Hop

Domingo, 10 de Junho de 2012

Do prado para a cidade

O último dia do Primavera Sound ficou distribuído pelos palcos do Hard Club e da Casa da Música, o que provocou uma maior concentração de festivaleiros pelo centro da cidade do Porto.


Ao inicio da tarde muitas pessoas de pulseira laranja na mão passeavam pelos arredores da Casa da Música. Vinham ver Jeff Mangum (que voltaria a tocar ás 22h00) e Nick Garrie. Aliás, ficaram horas à chuva no dia de sábado para assegurar lugar neste dia.

Mais ou menos o mesmo cenário nos arredores do antigo Mercado Ferreira Borges, actual Hard Club. As mantas estenderam-se agora no Praça do Infante. 

Por volta das 21h00 as portas da sala 2 do Hard Club abriram para deixar entrar uma multidão que aguardava para o início dos concertos desde o final da tarde. 

You Can't Win, Charlie Brown inauguravam a noite com a música "Until December". Muitas pessoas estavam curiosas para conhecer melhor o trabalho da banda, outras vieram à aventura, com o espírito do festival de conhecer músicas novas, e outras, provocaram o momento alto do concerto quando cantaram em coro juntamente com Afonso Cabral a música "I've been lost". E foi desta mistura de público e de sonoridades que muito caracteriza a banda lisboeta que se fez história no percurso musical da banda, com este fantástico espectáculo a norte. O concerto terminou "Under the sun/Over the water", uma música do albúm Chromatic, que fez dançar todos os que estavam na sala que responderam com um forte aplauso no fim.

Seguiram-se os Veronica Falls que já tinham proporcionado um bom concerto no dia anterior no Palco Club do Parque da Cidade, quando compensaram as pessoas molhadas no único palco coberto do festival.

A sala 1 seria estreada pelos portugueses Julie & the Carjackers que vieram apresentar o seu primeiro trabalho "Parasol" e encerrada com os ingleses Kindness com o seu álbum "World, You Need A Change Of Mind", um título tão sugestivo quanto o conteúdo musical, pelo seu estilo que funde o funk com o pop.

Do outro lado da cidade, na Casa da Música tocaram também The Olivia Tremor Control e os portugueses Best Youth, que tocaram em casa. Este foi mais um dia em que muitos desejariam ter o poder de serem omnipresentes para poderem desfrutar do último dia do festival. 


Depois dos concertos, das after parties, dos milhares de estrangeiros, do sol e da chuva, dos fins de tarde no prado com boa música e o cheiro da brisa do mar, dos estilos únicos e das modas, dos concertos cancelados e daqueles que serão irrepetíveis, das amizades criadas, dos isqueiros no ar e da mosh, das surpresas e dos momentos inesperados... terminou a primeira edição do Optimus Primavera Sound.

A boa noticia é já há confirmação que volta para o ano, e para o seguinte, e ainda o outro que se segue... Um viva à organização, às bandas, à cidade e os portuenses. Bravo!

publicado por Joana - On the Hop às 23:54

Muito mais do que o festival

Chegam de todo o lado. Da Europa: desde a vizinha Espanha e Inglaterra até á distante Noruega. Dos outros continentes, desde os Estados Unidos à Austrália, que programaram as suas viagens para estar nos dias de 7 a 10 de Junho no Porto. A cidade tem assim mais turistas de todo o mundo devido ao Festival Primavera Sound.

Á tarde e a noite estão no Parque da Cidade, durante o dia andam pela cidade do Porto, na Free Walking Tour ou simplesmente à deriva sem o mapa da cidade.

Vieram ao maior festival de música alternativa mas também à praia (dá para notar os escaldões nos europeus do norte!), à livraria Lello, aos Clérigos, a Rua Santa Catarina e às caves do vinho do Porto.

Acredito que a palavra "hospitalidade" tenha surgido entre a Ribeira e os Aliados. Os portuenses sabem receber, e são eles, melhor do que ninguém, que ajudam as pessoas de fora a tirarem o andante, a mudarem de linha ou com indicações sobre as paragens dos autocarros.

Á hora de almoço os festivaleiros deliciam-se com francesinha e cerveja, e adoram! No final estão de barriga cheia e agradecem com um "obrigada" com sotaque.

Também se encontra na cidade turistas curiosos colados ás montras das pastelarias e a comerem pasteis de nata tal como se tivessem um bilhete de identidade português.

Quando lhe perguntamos se estão a gostar da cidade a resposta é unânime "We love Porto".  Uns ficam mais uns dias na cidade depois do Festival, outros seguem no dia de hoje e amanhã para Lisboa, Espanha e outras cidades, outros regressam a casa.  Partilham o sentimento de querer voltar a visitar o Porto e ficam assim a saber o significado da palavra "saudade". 

 

publicado por Joana - On the Hop às 14:34

mais sobre mim

Junho 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

pesquisar

 

últ. comentários

blogs SAPO


Universidade de Aveiro

subscrever feeds